Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fábulas

Fábulas

As crianças são tãão inocentes!!


Na pausa para lanchar, que a tarde já vai longa, dei uma espreitadela à padaria da Didas.
Ela conta que quando era miúda, deitava-se e ficava de papo ao ar a ver as moscas a colarem-se àquelas coisas peganhentas que se usavam para as caçar...
Ao fazer lá o comentário, não pude deixar de pensar em como ela era boazinha para as moscas!

Quando era pequenina, eu fazia "hospitais", cujas camas eram caixinhas de fósforos vazias, encostadas umas às outras.
O problema nem era bem o hospital!
O problema era a técnica que eu usava para elas não fugirem da "cama", que era arrancar-lhes as asas e, a uma ou outra mais afoita, também saíam as patas!

Claro que ao fim de umas quantas "injecções" elas ficavam mais quietas...

E quando me juntava com os meus primos, na casa da minha avó (casa sempre de portas abertas e onde havia fartura de moscas) e fazíamos "gelado de mosca"??

Só espero que não ande por aqui nenhuma criança a ler estas barbaridades!
E dizer que me regenerei e que agora não faço mal... a uma mosca!!

Pudim de laranja de S. Miguel

Ingredientes:

200 g de açúcar (300)
100 g de miolo de pão branco, sem côdea (150)
4 ovos + 4 gemas (6 + 6)
3 dl de leite (4,5 dl)
sumo e raspa de 1 laranja grande (1,5)
1 casca de laranja
150 g de açúcar para o caramelo

Preparação:

Prepare o caramelo, levando ao lume uma frigideira com o açúcar e mexendo sempre até ficar em caramelo.

Forre uma forma de pudim com o caramelo.

Ferva o leite, com a casca de laranja.

Desfaça o miolo do pão para um tacho, leve ao lume e deite-lhe imediatamente o leite acabado de ferver. Deixe levantar fervura sem deixar de mexer.

Retire do lume, rejeite a casca de laranja e adicione a raspa, o sumo e o açúcar. Mexa bem e deixe arrefecer. Misture depois os ovos e as gemas ao creme e volte a mexer bem.

Deite para a forma (coberta ou tapada) e leve a cozer em banho-maria, no forno pré aquecido a 160º, entre 45 a 50 minutos.

Verifique a cozedura e retire.
Desenforme e sirva frio, decorado a gosto.

Nota:
Este pudim é uma verdadeira de-lí-ci-a!
As porções indicadas entre parêntesis são as que eu costumo fazer, já que o pessoal por estas bandas é todo muito guloso!
Outra coisa: eu não asso os pudins no forno, mas sim na panela de pressão.
Ficam igualmente bons, é muito mais rápido, prático e económico!
Eu faço assim:
ponho água na panela de pressão (uma altura de cerca de 1 cm). Por cima, para a forma não ficar pousada no fundo da panela coloco uma coisa daquelas que se usam para pousar os tachos na mesa. É de arame, por isso não se estraga na panela.
Depois ponho a panela no lume e assim que começa a ferver contam-se 20 minutas (ou 25 se o pudim for grande) a partir da altura em que a válvula começa a rodar.
Desliga-se o fogão, espera-se que arrefeça, tira-se o pudim da panela e põe-se no frigorífico!

(clicar para salivar!!)

"banhamedeus"!!!!

Hoje não pude deixar de me rir sozinha quando estava a fazer as avaliações de uma aluna.
Escrevi eu assim "... e ainda troca o lh pelo nh."

Depois, entre todos os papéis que tenho à minha volta e que consulto nestas alturas, há um que foi preenchido pelo pai da menina, e onde se pode ler na constituição do agregado familiar: "pai e 2 finhas mais companheira e finha"

Quem sai aos seus...

Pódio

Sem tempo para esta vida de blog, deixo-vos com o pódio da 1ª liga da época 2007/2008.

Cheio de imaginação, como podem comprovar!
Gosto especialmente do dragãozinho e do n.º 4 que não sei quem é ;)





(recebido por mail)

A herança... dos otários!

Acabei há pouco de ver a parte final do concurso "A Herança"
Aquelas "pistas" para descobrir a palavra que dará direito ao prémio são verdadeiramente anedóticas!!
Quem as inventa e faz aquele encadeamento sem pés nem cabeça não deve regular bem!

Se lá pela RTP não querem gastar dinheiro, para que fazem concursos?

Bolo de Chocolate da Caneca



Numa chávena coloque
4 colheres de sopa de acúçar,
4 colheres de sopa de farinha e
2 colheres de sopa de chocolate em pó.
Envolva os ingredientes secos.
Adicione 1 ovo,
3 colheres de sopa de leite e
3 colheres de sopa de óleo.
Mexa tudo muito bem e leve ao microondas em potência máxima durante 3-4 minutos.
Retire o bolo com a ajuda de uma faca.
Decore a seu gosto (eu fi-lo com açúcar em pó).

Nota: pessoalmente, gosto mais dos bolos cozidos no forno, uma vez que ficam mais fofos... Quem utiliza o microondas, sabe que este tende a absorver a humidade dos alimentos, deixando-os mais secos depois de arrefecer.

Esta receita foi retirada do blog http://deliciasdakini.blogspot.com/.
Também existe a versão laranja e capuccino.

Pudim frio de chocolate

pudim frio de chocolate

Ingredientes:

100 g de chocolate em tablete
6 folhas de gelatina
2,5 dl de natas
1 lata de leite condensado
5 claras
óleo para untar

Preparação:

Derreta o chocolate em banho-maria, depois retire do lume e mexa bem.
Demolhe as folhas de gelatina em água fria durante 5 minutos.

Bata as natas em chantilly, junte-he o leite condensado em fio e mexa.
Adicione depois o chocolate derretido e misture bem.
Escorra a gelatina e leve-a a derreter no microondas ou em banho-maria, sem deixar ferver. Junte-a à mistura e mexa bem.

Bata as claras em castelo, adicione-as à mistura anterior, mexa delicadamente e deite para uma forma previamente untada com óleo.
Leve ao frio até solidificar, desenforme e decore a gosto.

Nota:
Enganei-me na quantidade de gelatina (pus 4 folhas em vez das 6 recomendadas) e, com medo de que o pudim desmoronasse (já contei aqui que a minha relação com a gelatina não é das melhores...) enfiei com ele no congelador.
Só vos digo que ficou uma maravilha, assim meio pudim, meio gelado!
Ah e usei uma forma de bolo inglês, mas també se pode usar uma forma típica de pudim.

(Receita da teleculinária gold de Abril de 2008)

Uma fotografia por domingo (57)

(às vezes são três...)


Ontem fui fazer o meu ex-passeio-habitual que deixou de o ser por motivos de força maior, mas que está a voltar a ser.
Antes do pastel de nata temos de fazer por merecê-lo, e isso inclui um passeio por aqui, do princípio ao fim do caminho.
É um passeio bem agradável, o pessoal da Câmara de Ílhavo teve uma excelente ideia quando fez estes passadiços por entre as dunas da Costa Nova.

Mas...

As obras não são eternas, muito menos construções de madeira à beira do mar!
É preciso preservá-las, ou seja, seria preciso tratar a madeira para que não se estragasse.
E isso não está a ser feito!
A juntar ao desleixo de quem devia cuidar da obra, junta-se o vandalismo de alguns inúteis e ainda as forças da natureza.

Nada que não se resolva, assim as entidades (i)responsáveis o queiram!
Faz dó ver investimentos tão prazeirosos e interessantes, e que tanto dinheiro devem ter custado, assim desmazelados!

há que lutar contra a força da areia...


e contra o vandalismo...

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D