Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fábulas

Fábulas

CheeseCake de Morango

Ingredientes:

para a massa:

250 grs. de bolacha torrada esmagada;
2 c. (de sopa) da manteiga);
4 c. (de sopa) de leite.

para o recheio:

1 embalagem de queijo fresco para barrar Philadelphia;
1 lata de leite evaporado;
1 ovo inteiro;
1/2 chávena de açúcar;
2 c. (de sopa) de farinha;
raspa da casca de 1 limão.

para a cobertura:

2 a 3 chávenas de morangos reduzidos a puré.

Preparação:

Esmague as bolachas com a ajuda do rolo da massa, junte a manteiga e o leite e amasse tudo até estar bem ligado.
Forre o fundo e os lados duma forma amovível e reserve.
Junte todos os ingredientes para o recheio numa tigela e bata tudo, até ficar em creme.
Verta por cima da bolacha e leve ao forno, pré-aquecido a 170º, durante cerca de 40 minutos.
Entretanto, arranje os morangos e reduza-os a puré com um esmagador.
Quando a tarte estiver cozida, e depois de arrefecer, espalhe o puré de morangos por cima.
Leve ao frigorífico até ficar bem fresquinho.
Nota: usei uma forma de tarte, pois a minha de aro amovível já não está em condições...

Falta de lateralização?

Ultimamente a esquerda parece a direita e vice-versa: por um lado o Paulo Portas sempre a falar dos reformados (dos pobres, não do Cavaco e outros que tais) e dos beneficiários do RSI, por outro lado o Louçã, o Daniel Oliveira e afins a tecerem elogios à malandragem dos que não trabalham porque não querem e ai de quem os queira - por força de lei - obrigar.

Normalmente seria o capitalismo a "defender" os pobrezinhos - porque faz parte da "alma" capitalista haver pobrezinhos para explorar e/ou brincar à caridade, mas realmente está tudo trocado.

Vem isto agora a propósito do que li hoje no JN: Mão de obra tailandesa salva morangos do litoral.
Compro desses morangos todos os fins de semana e sou testemunha de que há por lá sempre um letreiro a pedir pessoal.
E não pensem que o ordenado é mau! (quer dizer, não é bom, mas é superior ao que recebem, por exemplo, as mães dos meus alunos que são operárias)

Claro que é muito melhor estar em casa no café a receber o mesmo (ou até mais, já que o RSI é pago à cabeça e como lhes sobra muito tempo sempre vão fabricando mais uns filhos), do que andar com as costas dobradas a apanhar morangos.

Eu não percebo muito de política, mas tenho a certeza absoluta de que um país jamais progredirá enquanto houver políticos que protejam quem quer malandrar!

Uma fotografia por domingo (137)

Apresento-vos a (provisoriamente até ter a certeza que é uma gata)... Nikita.
Para já, tenho a certeza de que é um verdadeiro turbilhão negro!
Graças a ela ando com os meus braços cheios de mossas, todos arranhadinhos.

E agora vou atrás dela, que já se está a atirar com unhas e dentes (na falta dos meus braços) aos cortinados da sala...

(para que servem os brinquedos para gatos, hã?)

Bolo de Natas

Ingredientes:

2 chávenas de açúcar (mal cheias);
2 chávenas de farinha;
2 pacotes de natas (400 ml.);
5 ovos;
1 c. (de chá) de fermento;
raspa da casca de um limão;
margarina e farinha q.b. para a forma.

Preparação:

Bater as natas com o açúcar.
Juntar as gemas, a farinha e o fermento, mexendo bem.
Acrescentar as claras, previamente batidas em castelo, envolvendo delicadamente no preparado.
Por fim, juntar a raspa de limão e mexer uma última vez.
Levar ao forno pré-aquecido a 180º num tabuleiro, previamente untado e polvilhado, durante cerca de 45 minutos.
Depois de cozido, retirar do forno e cortar quadrados do bolo ainda morno.
Servir com um chá ou um refresco, dependendo do dia :)

Comprei hoje um brinquedinho

para a minha gata (ou gato, sei lá o sexo desta miniatura preta) e não é que a safada não liga nada ao brinquedo e farta-se de brincar com o código de barras autocolante que tirei de lá?
Fiz a asneira de lho colar ao pêlo e não é que a palerma gostou tanto que não o largou mais?
Aquilo cola-se-lhe às patas e ao focinho e ela farta-se de brincar!

Se conhecerem o indivíduo que inventou os brinquedos para gatos, avisem-me que eu quero ter uma palavrinha com ele!

Bolinhos de limão




Ingredientes:

150 g de manteiga
150 g de açúcar
1 limão
1 ovo + 1 ovo para pincelar
290 g de farinha
1 colher de café de fermento

Preparação:

Amassar a manteiga com o açúcar e a raspa do limão e juntar depois o ovo inteiro.
Juntar depois a farinha misturada com o fermento e amassar até formar uma massa moldável.

Moldar depois bolinhos e dispô-los num tabuleiro untado com manteiga e polvilhado com farinha.
Pincelar com o ovo e polvilhar com açúcar e raspas de limão.

Vão ao forno a 150º (na receita diz 200º, mas o meu forno não é normal...) durante 12 minutos.
(na receita diz entre 15 e 20 minutos, mas o meu forno é despachado!)

Foi chumbada a proposta do PSD de pôr uns quantos a trabalhar.

O único disparate do PSD foi meter no mesmo saco desempregados e beneficiários do RSI.
Não tem nada a ver: os primeiros são pessoas que trabalharam e perderam os empregos.
Essas pessoas têm de ser apoiadas enquanto não arranjam novo trabalho. Sempre contaram com uma quantia de dinheiro ao fim do mês e assumiram compromissos tendo isso em conta.

Já os segundos, pelo menos os que conheço, pouca consideração me merecem.
Muitos deles (e delas) depois de deixarem os filhos na escola vão directamente para a pastelaria tomar o pequeno almoço... Depois por volta das 11, quando os garotos estão no recreio, é vê-las a passar para casa.

É impossível que quem trabalha assista a estas situações impávido e sereno!

Os ciganos, esses, que eu saiba, não vão para o café, mas os que conheço há 12 anos, há 12 anos que recebem RSI.
Um destes dias, a funcionária da minha escola perguntou a um deles - que, excepção à regra, vai fazendo alguns trabalhos quando lhe pedem - se ele não preferia ter emprego e ordenado fixo.

"Não posso. E depois quem é que ia levar e buscar os meninos à escola?"

Afinal, as viagens no tempo existem mesmo!


Eu nem queria acreditar, mas hoje tive a prova provada: na TVI, perto das 13 horas, aterraram 4 pessoas (?) que, de certeza absoluta, vieram direitinhas da Idade da Pedra.
Indescritível o seu aspecto, mais indescritíveis ainda as suas histórias que incluiam vários familiares presos por violação de menores (filhos, sobrinhos...) muito menores mesmo, quase bebés.


Nas suas acusações mútuas falaram também de mais violações por parte de um deles (pelo pai), de um bebé que terá sido morto à nascença (pela filha mais velha desse pai) e ainda de um outro bebé de 5 meses que terá sido deixado morrer por falta de assistência (pela mãe).

E acreditem que não está aqui tudo o que foi dito, pela simples razão de que eu não entendia grande parte do que eles diziam...
Eu juro-vos que se não tivesse visto não acreditava, pois não imaginava que no século XXI, num país europeu, ainda existisse "gente" assim.

Foi pena o programa ter terminado com eles no estúdio e perdermos assim a possibilidade de os ver a entrar na sua caverna.
(Também estava à espera de ver a polícia entrar por lá adentro e levar aquela gente toda para a cadeia, mas tal também não aconteceu).

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D