Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fábulas

Fábulas

Pagar por encomenda?

Ao contrário de muitas mulheres, que gostam de andar de loja em loja a ver e experimentar roupa, eu detesto!
Vai daí, às vezes faço encomendas na La Redoute.
Desta vez encomendei um jogo de cama (lençol de cima, lençol de baixo, 2 fronhas) e um pijama.
Quando recebi o mail com as indicações para fazer o pagamento, fui a um sítio onde se vê o "andamento" da encomenda, descobri que o jogo de cama só viria, na melhor das hipóteses, dentro de 2 semanas.
Por agora, viria só o pijama (o produto mais barato de todos).
Daí não viria mal nenhum ao mundo, não fosse dar-se o caso de ter de pagar a encomenda na totalidade!

Claro que lhes mandei um mail a dizer que só pagava quando recebesse a encomenda toda.
É tão fácil governarmo-nos com o dinheiro dos outros, não é?

O Cavaleiro de Olivença


Estas férias têm sido pródigas em livros, tenho lido bastante.
Este foi outro livro lido na varanda com vista para o mar?... (suspiros...)

O Cavaleiro de Olivença, da autoria de João Paulo Oliveira e Costa e editado pela Temas e Debates, narra acontecimentos passados em Portugal (na altura da narrativa Olivença era uma grande cidade alentejana), no reinado de D. Manuel I.
O herói, Vasco de Melo, era já meu velho conhecido dos dois livros anteriores ("O império dos pardais" e "O fio do tempo").
Com a personagem - fictícia mas apaixonante - de Vasco de Melo, cruza-se Joana de Castela, a rainha louca.
Adorei!

Para quem quiser saber mais, deixo aqui a sinopse:

No último título da trilogia dedicada por João Paulo Oliveira e Costa aos «amigos do rei», a figura central é Joana, a Louca.

Filha dos Reis Católicos, mãe do poderoso Carlos V, irmã das duas primeiras mulheres de D. Manuel I, Joana ficou para a história como a possessiva mulher de Filipe, o Belo. Acusada de excessos por alguns, foi afastada do poder e enclausurada em Tordesilhas. Mas quem mais teria Joana amado? Voltou a rainha a apaixonar-se depois da morte de Filipe? Teve no seu íntimo outros amigos? Sobre estas interrogações se constrói uma fabulosa história de amor que tem por cenário a Europa trepidante do século XVI.

Bolachinhas Crocantes com Cereais & Chocolate

Ingredientes:
(para 18 unidades)

100 g de margarina à temperatura ambiente;
2/3 cháv. de açúcar amarelo;
1 c. (de chá) de essência de baunilha;
1 cháv. de farinha de trigo com fermento;
1/4 cháv. farinha integral;
2 c. (de sopa) de leite magro;
1/2 cháv. de cereais flocos integrais (usei a marca Silhueta do Continente);
2/3 cháv. de pepitas de chocolate semi-amargo.

Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Bater a manteiga com o açúcar e a baunilha até obter uma mistura cremosa.
Adicionar as farinhas, batendo a uma velocidade mais baixa até incorporar.
Juntar o leite e mexer até formar uma massa homogénea.
Usar uma colher de pau para misturar os cereais e as pepitas.
Num tabuleiro forrado com papel vegetal, dispor colheradas de massa, deixando algum espaço entre elas.
Com as costas duma colher, achatar ligeiramente as bolachas.
Levar ao forno cerca de 12 minutos.
Retirar e deixar arrefecer 5 minutos.
Guardar numa caixa hermética para não amolecerem.

São muito saborosas! :P

Nota: receita adaptada daqui

Tarte cremosa

Vais precisar de:

1 rolo de massa folhada
300 g de açúcar
100 g de coco ralado
6 gemas e 2 ovos
1 pacote de natas (2 dl)

Faz-se assim:

1. Forrar uma tarteira com a massa folhada, aparar os rebordos e picar o fundo com um garfo.

2. Numa tigela, deitar as natas, o açúcar, o coco ralado, as gemas e os ovos e misturar muito bem. Verter para uma forma e levar ao forno a 180º durante cerca de 45 minutos.

3. Espetar um palito para verificar a cozedura, retirar do forno, desenformar e deixar arrefecer. Servir depois decorada a gosto. Notas: é realmente muito deliciosa esta tarte.


Outro inocente morre:

um cão.
(não sei se é da idade, ou se ando mesmo a ficar cínica, mas nestas situações só tenho pena dos animais, não tenho pena nenhuma dos humanos)

A vereadora da Câmara de Matosinhos falava em casa "insalobra", "sem condições"... só não conseguiu usar a palavra "suja", mas deu a entender.
Um vizinho da vítima (da humana) falou em pessoa com muitos problemas e frequentes bebedeiras...
Disse também que, em 2 anos, viu o cão na rua umas duas vezes!

Quando aparecerão políticos com tomates para proibir estes cães a pessoas que não têm condições para os ter?
Este assunto incomoda-me bastante, porque conheço casos de gente que vive em bairros sociais, que recebem rendimento mínimo, gente a quem foram retirados os filhos por não terem condições para os educar e sustentar, mas que têm deste tipo de cães!
Isto é aceitável?

O anjo branco


 "O anjo branco", de José Rodrigues dos Santos, a ser lido numa varanda com vista para o mar.


Nestas férias tenho lido bastante e "O anjo branco" era um do meu monte de TPF.
Este livro narra a história de vida de José Branco (baseada na vida do pai do autor).
José Branco era médico e trabalhava em Moçambique, mais especificamente em Tete (para onde foi recambiado como castigo de se ter atrevido a questionar o poder vigente).
Inovou porque criou um serviço de assistência médica às populações das aldeias mais recônditas do distrito onde vivia.

Um livro que deve ser lido, pois retrata um aspeto importante da nossa história recente: a guera colonial
(embora esse não seja o tema principal)

Queques de Chocolate


Ingredientes:
(12 unidades)

210 g de farinha de trigo com fermento;
40 g de cacau em pó (magro);
120 g de açúcar amarelo;
2 c. (de chá) de fermento em pó;
250 ml de leite (magro);
60 g de manteiga (magra) derretida;
1 c. (de chá) de essência de baunilha;
100 g de pepitas de chocolate semi-amargo

Preparação:

Numa taça, misturar a farinha peneirada juntamente com o cacau.
Acrescentar o açúcar e o fermento.
Noutra taça, misturar o leite com a manteiga derretida e a essência de baunilha.
Juntar depois os ingredientes líquidos aos ingredientes secos, misturando muito bem até obter uma massa cremosa e homogénea.
Adicionar as pepitas, incorporando bem.
Forrar um tabuleiro de queques com forminhas de papel frisado e encher até 2/3 da sua capacidade com a massa de chocolate.
Levar a cozer ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 20 minutos.
Deixar arrefecer um pouco antes de desenformar e guardar numa caixa hermética (se conseguirem durar até lá :P).

Nota: mais uma daqui (uma receita para gulosos, amantes de chocolate!)

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D