Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fábulas

Fábulas

Descobertas na blogosfera

Sentei-me ao computador para fazer um relatório...
Mas, cada vez que me sento aqui, a primeira tarefa é visitar o meu blog, ver se ele está bem, se não lhe falta nada, se não mo apagaram, se tem visitas e comentários...
Depois, bem, depois fui visitar um outro.
Daí deu-me para clicar num link desconhecido e desse passei para outro e assim sucessivamente, mais tempo do que o bom senso manda!

Mas, tal qual o David Attenborough desbravando uma floresta, também fui descobrindo coisas muito engraçadas.
Descobri que há blogs sobre todos os assuntos possíveis e imaginários (alguém descobria esta se eu não tivesse dito??)
Deduzi que a maior parte dos bloguistas ou é desempregado ou bloga no trabalho.
A paragem do Natal não se deverá só aos feriados, mas também à "falta" do emprego.
Até descobri um bloguista a dizer mal do "patrão" por ele ter ficado chateado por o senhor dono do blog "de vez em quando" usar o MSN no serviço! Realmente pá, ele há patrões muita maus!! Então ele não vê que, ao utilizar o MSN se distrai e prejudica o blogue?

Descobri blogues pornográficos (qual o espanto?) mas feitos por mulheres (aqui o espanto é mesmo a sério...)
Abusar da imagem da mulher é infelizmente o pão nosso de cada dia, e não é só nos blogues.
Mas as mulheres reduzidas a imagens chocantes e ainda por cima por outras mulheres, isso eu acho deprimente... Mas parece que quem faz isso pensa "olhem só para mim sou tão avançada, tão sem tabus, tão feminista, que até publico estas coisas". E quem não gosta é porque é retrógada ou cheia de complexos ou uma mal amada qualquer, tadita.

Também descobri que os blogues mais famosos são, por norma, os mais chatos.
E descobri que todos os blogues (à excepção dos "gatos") que já foram transformados em livros estão cheios de palavrões, que às vezes nem vêm a propósito de nada.
Parece que é muito mais "in" dizer "hoje tive um dia f*****" do que "hoje o dia correu-me mal".
Porque será?
Eu cá não faço ideia, mas dá clientes, comentários e direito a um livro!
Descobri também que blogues desactivados há meses e até há anos continuam por aí na lista de favoritos de contadores de blogues...
E também parece que é chique ter link para o "Gato Fedorento" ( o que poderia ser interessante se eles lá escrevessem outras coisas para além da agenda dos espectáculos!!) e para o Abrupto (o que poderia ser interessante se alguém entendesse o que por lá se escreve!)

E, finalmente, descobri que nem é preciso saber escrever para se ter um blogue: pode-se dar erros, pode-se escrever em SMSês, pode-se publicar só anedotas, ou só fotos (de outros) ou só poemas (de outros).

Enfim, descobri que isto é um mundo com coisas boas e coisas más.
Mas ninguém pode pôr em dúvida que neste mundo reina a democracia!

Portugueses e espanhóis

A propósito de um estudo dos INE de Portugal e de Espanha, entre muitas outras conclusões interessantes (eles ganham mais que nós, quem diria!!) pode ler-se no JN online de hoje o seguinte:

«Os trabalhadores portugueses e espanhóis têm um nível de instrução mais elevado do que os respectivos patrões, mas o desequilíbrio é maior entre nós. Segundo o INE, em Portugal, um em cada quatro patrões possuía, em 2004, curso superior ou o ensino secundário completo, o que equivale a metade da percentagem que Espanha ostenta. Ao nível dos empregados, 13% têm habilitações de nível superior, contra apenas 11% dos patrões. Em Espanha, esta relação é de 31% para 27%. Tal desequilíbrio, menos acentuado na União Europeia, verifica-se em todos os graus de ensino.»

É por aí mesmo que as diferenças começam: nós somos o país dos patrões, dos empresários de futebol e dos construtores civis.
Somos o país onde ganha mais dinheiro quem nada faz e se limita a comprar e vender apartamentos, onde ganha mais quem nada produz e se limita a comprar e vender acções.

E vem-me à memória uma quadra do Aleixo:

Tu que vives na grandeza,
Se calçasses e vestisses
Daquilo que produzisses,
Andavas nu, com certeza.

Socorro, estamos a ser invadidos...

... por publicidade àquelas coisas (desculpai a ignorância, mas não sei mesmo o nome) que se compram - e bem caras - para pôr nos telemóveis.
Tenho visto mais televisão que o costume e os intervalos, principalmente a partir das onze da noite, tornam-se insuportáveis com tanta publicidade "àquelas coisas"...
Ele é toques, mulheres nuas, macacos (ou serão sapos?) com problemas intestinais...
Até se compram "frases românticas", anedotas, poemas, citações, eu sei lá!

Eu sei que isto já existe há muito, tenho ouvido mãezinhas queixarem-se que os filhos gastam o saldo do telemóvel, tadinhos, a comprar imagens e toques... Mas, como a publicidade só existia em revistas não se tornava incómoda.
Agora na televisão é horrível!
Cá em casa já adoptei a técnica de cortar o som à TV nos intervalos e pronto. Mas, mesmo assim incomoda.
E incomoda ainda mais pensar que se aquilo existe é porque há quem compre!
Pensar que existem pessoas que se sentem realizadas apenas porque a "gaja nua" que têm no écran do telemóvel tem as mamas maiores que a gaja do écran do telemóvel do amigo... Esta mentalidadezinha tacanha incomoda-me!
Pensar que há gente que quer mandar uma mensagem bonita à (ao) namorada (o) e tem de a comprar (!!) também me incomoda bastante.

A humanidade estará memo a evoluir??

Natal SMS

Ao contrário de uma grande parte da população portuguesa, não sou nada fã de mensagens SMS. Se quero falar com alguém telefono (do fixo, para ficar à conversa, que o telemóvel para mim é um acessório que a maior parte das vezes nem sei onde pára - estou a lembrar-me agora que o meu nesta altura deve estar abandonado no porta luvas do carro desde a noite de Consoada!)

Se não sou adepta de mensagens nos dias "normais", na noite de Natal então... abomino!
Mas todos os anos é a mesma "invasão" de SMS´s na noite de Natal... e uma pessoa fica com remorsos se, pelo menos não agradecer!
Logo numa altura em que estamos ocupadíssimas às voltas com o fogão ou então já a comer! Se toda a gente fosse tão naba como eu para escrever no telemóvel, não havia tantas mensagens..
Vai daí, este ano resolvi fazer greve: não mandei mensagens SMS a ninguém! Nem sequer agradeci as que fui recebendo desde a véspera.
E, como a minha constipação me deixou completamente sem pio, nem sequer telefonei a agradecer...
A esta hora devo estar na "lista negra" de muito boa gente!

Do que eu gosto mesmo é daquelas Boas Festas em papel, com anjinhos, sininhos e coisinhas douradas, que abrem e nós escrevemos lá dentro, lembram-se?
Era giro escolher os postais de acordo com os gostos de cada um - muitos anjinhos e presépios para os mais católicos, uns mais malandrecos para os amigos, e aqueles nem sim nem não de cerimónia "só para retribuir".
Depois era uma tardada para os escrever!
Como recompensa também recebia imensos e enfileirava-os na lareira ou debaixo da árvore para estarem iluminadinhos e com eles as pessoas que os enviaram.
Este ano não recebi nenhum!
Debaixo da árvore está apenas um que o meu marido recebeu dum amigo (obrigada "Mike"!!)
Os postais recebidos por email são giros, divertidos, até se mexem e tudo, mas têm esse senão: não podemos levá-los para a lareira ou para a árvore!

Um dia destes vou criar um "movimento para a restauração dos postais de Boas Festas".
Quem alinha?

(Já tinha este post escrito desde ontem - embora não publicado - quando em visita ao Pópulo descobri que a M.L. escreveu sobre o mesmo assunto... Já somos duas para o tal movimento!)

Quem não tem saudades?

Natal

Leio o teu nome
Na página da noite:
Menino Deus...
E fico a meditar
No milagre dobrado
De ser Deus e ser Menino.
Em Deus não acredito.
Mas de ti como posso duvidar?
Todos os dias nascem
Meninos pobres em currais de gado.
Crianças que são ânsias alargadas
De horizontes pequenos.
Humanas alvoradas...
A divindade é o menos.

Miguel Torga
S. Martinho de Anta, 24/12/1966

Ana Margarida Pinho
Acrílico s/tela

Mudam-se os tempos??

Antigamente em Aveiro havia duas escolas secundárias: uma era o "liceu", a outra a "escola industrial e comercial".
Liceu para os meninos ricos que queriam e podiam prosseguir estudos (muito poucos) e Escola Industrial e Comercial para os meninos pobres que queriam fazer o 5.º ano do comércio para arranjarem um "bom" emprego num escritório ou então para tirarem cursos de electricista, carpinteiro, etc....
(Embora o grosso da pequenada se ficasse pela escola primária, que as fábricas precisam mais de operários do que de empregados de escritório...

Passaram muitos anos, o 25 de Abril acabou (ou não??) com as desigualdades e as duas escolas secundárias passaram a ser equivalentes.

Por isso hoje, ao fazer a arrumação da cesta dos jornais e revistas, não pude deixar de sorrir (e depois rir às gargalhadas!) com os anúncios que vinham no Diário de Aveiro do dia 16 de Dezembro:

«Os antigos alunos da EICA - a tal "escola dos pobres" - vão hoje realizar o jantar de Natal na cantina da escola.»

E lá mais à frente, outro anúncio:

«Os antigos alunos do Liceu de Aveiro vão realizar a sua ceia de Natal amanhã no Hotel Meliá Ria.» (para quem não sabe, o chiquíssimo, feiíssimo e novíssimo hotel de Aveiro).

Feliz Natal

A todos os amigos da blogosfera que me honram com a sua presença e com os seus comentários neste blog e também àqueles que aqui vêem parar sem saber como, os meus votos de um Natal muito feliz, cheio de saúde, rabanadas, mexidos, filhoses, bilharacos, prendas e tudo o que mais gostarem. Ah, e não esquecer a família que, de preferência, não deve ser muito chata e não deve oferecer meias nem cuecas...
Imagem "desviada" do excelente Webcedário

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D