Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fábulas

Fábulas

Miguel Torga

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5097602756760953810" />
Fábula da fábula

Era uma vez
Uma fábula famosa,
Alimentícia
E moralizadora,
Que, em verso e prosa,
Toda gente
Inteligente,
Prudente
E sabedora
Repetia
Aos filhos,
Aos netos
E aos bisnetos.
À base duns insectos,
De que não vale a pena fixar o nome,
A fábula garantia
Que quem cantava
Morria
De fome.

E realmente...
Simplesmente,
Enquanto a fábula contava,
Um demônio secreto segredava
Ao ouvido secreto
De cada criatura
Que quem não cantava
Morria de fartura.

Comemora-se hoje o centenário do nascimento de Miguel Torga.
Gosto muito dos poemas dele, sem excepção.
Escolhi este porque é um dos meus favoritos e também porque este poema foi o meu primeiro post nesta aventura dos blogues...

Maddie

Este assunto continua na berra, infelizmente.
Acho impressionante a forma como as pessoas se manifestam, principalmente nos comentários on line

(os do Portugal Diário são uma aberração
!).
Gentinha que insulta, que faz juízos de valor acerca do comportamento dos pais da menina, que não conhecem de lado nenhum!!!
Gentinha doente, se calhar uns cobardes que tudo engolem e que depois destilam o veneno em comentários anónimos.
Gentinha sem nível e sem instrução, a julgar pela quantidade de erros ortográficos que dão.
Grunhos!

Nem imagino o sofrimento destes pais, o sentimento de culpa que devem estar a sentir por terem deixado os filhos sozinhos...
(em relação a isto também há comentários de gente muito escandalizada...
Por mim, gostava de conhecer a ave rara que nunca, por um motivo mais ou menos válido, tenha deixado os filhos sozinhos em casa!)

Há também muita inveja em relação à mediatização deste caso, em comparação com outros desaparecimentos...
Desta vez, sim, a "culpa" é dos pais de Maddie!
Todo este mediatismo se deve à sua luta, ao seu não baixar os braços, ao seu não conformismo!


Quem somos nós para os julgar?

Está mais que visto

que nós, portugueses, não admitimos que os outros digam mal de nós!

Só nós é que podemos dizer que o governo não presta, que os políticos são incompetentes, que os autarcas são corruptos, que os professores são malandros, que os polícias não descobrem nada, etc..

Basta ler algumas notícias e principalmente alguns comentários on-line para vermos como reagem as pessoas às notícias de que a imprensa inglesa critica a nossa polícia!
Afinal os polícias são geniais, são os melhores do mundo e os jornalistas ingleses é que são uns sacanas.

Vou esperar que os ingleses se atirem aos professores!!

E os horários laborais das crianças?

Recebi este texto por mail:

«O ministro do Trabalho e da Solidariedade considera que "as creches têm de ter horários mais alargados do que os actuais".
Ontem, Vieira da Silva disse estar empenhado em promover o alargamento do horário de funcionamento dos infantários de modo a facilitar uma maior conciliação entre a vida profissional e familiar, que é um dos objectivos do seu programa do Governo, faz parte dos objectivos estratégicos da Comissão Europeia e foi recentemente alvo de uma conferência internacional, promovida pela presidência portuguesa da União Europeia.
Para reforçar a sua posição, Vieira da Silva apontou o exemplo de uma creche que visitou recentemente em Vila Nova de Cerveira:

"Visitei uma creche que estava aberta das sete da manhã até as dez noite e estava cheia",

disse para justificar a necessidade que os pais sentem em contar com um serviço mais alargado.
A maioria das creches praticam horários até às 18 horas, sendo que algumas, funcionam até às 19 horas, mas cobram uma taxa suplementar.
O Governo pode condicionar essa alteração, tendo em conta que, como disse ao DN o secretário de Estado da Segurança Social, "cerca de 90% da rede de creches são instituições particulares do solidariedade social, com as quais temos protocolos de financiamento".
Ou seja, o ministério poderá condicionar o financiamento a este tipo de estabelecimentos à sua política de horários. »

O título do mail é: "e os horários laborais das crianças?"
O negrito, no texto, é meu. A minha alma ainda está parva com tal alargamento!!

Que stress!

Ocupadíssima em viagens até à praia, passeios, algumas compras para aproveitar os saldos e sessões de sofá, nem tive ainda tempo para escrever no blog e fazer a reportagem das férias...
Mas ela há-de aparecer, mais dia menos dia!

PS: Vou fazer grandes limpezas no meu sótão e para isso pretendo transferir parte do lixo que acumulei ao longo dos anos para os sótãos dos outros.
Posto isto, pergunto:
Aguém está interessado em revistas mais ou menos antigas?
Tenho Visão, Sábado (não é esta revista nova, é a antiga), Mais, Notícias Magazine, Activa, revistas de ponto cruz, Selecções e mais umas quantas avulsas...

Pág. 2/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D