Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fábulas

Fábulas

O que te faria bem ao ego??


Hoje o afigaro perguntava no seu blog sobre o que faria bem ao ego dos portugueses.
Dei comigo a deixar lá este comentário:

"O que me faria mesmo feliz seria ler esta notícia:
Desde que ministra da educação foi demitida e como ninguém lhe deu trabalho em lado nenhum, transformou-se numa sem abrigo. Sobrevive agora à porta duma escola, onde aceita esmolas dos professores que entram e saem"

E a ti?
O que te deixava feliz?

E quem gosta de improvisar?

Eu gosto de improvisar.
Por isso, sou incapaz de levar uma aula planeada até ao pormenor.
Sei o que vou fazer, tenho uma ideia geral, mas não sei os pormenores.
E vou ser penalizada por causa disso?

Embirro com o facto de ser considerada para avaliação a "planificação da aula" (e presumo que aquilo vai ser do género tudo-planificadinho-com-indicação-de-"papel, quadro e giz"-no ítem-"material"!!)
Temo pela conservação das florestas, se formos a fazer tudo o que querem!


A propósito de planificação, vem-me sempre à memória esta história:

Uma vez, há muitos anos, estava colocada em apoio numa escola e fui substituir uma colega por um dia (a ministra não descobriu a pólvora agora, há milhões de anos que os professores que faltam são substituidos, desde que haja quem o faça!)

Ela então deu-me o seu caderno com o plano da aula.
Quando o consultei, fiquei espantada quando vi, a par com o nome do texto que iríamos trabalhar, as perguntas de interpretação oral que era suposto eu fazer!
Todas escritas ao pormenor, como se eu fosse muito burra!

Fiquei pior que estragada, mas depois de cuscar o resto do caderno, vi que ela fazia assim todos os dias! Menos mal, afinal não tinha sido por ser para mim!
Mas achei (e ainda acho) ridículo!

As aulas para serem interessantes para os alunos (e para os professores) têm de ser dadas ao correr da pena, temos de saber ir para onde elas nos levam, mesmo que o assunto esteja a milhas do que planeávamos dar!

É assim que eu gosto de trabalhar, e não vou mudar por muitas avaliações que a "ministra da avaliação" invente!

Ai as percentagens!

Estou triste!

É que tudo leva a crer qua já não vá ter "excelente" na minha avaliação!

Primeiro, porque já faltei (embora tenha sido só de tarde e para ir a um funeral, mas isso não conta nada, seria o mesmo se tivesse ido passear...)

Depois reparei que, na minha turma - com 20 alunos - há 5 meninos e meninas ciganos.
Ora bem, fazendo as contas isso dá um quarto, ou seja 25% de insucesso (já que todos estão muito longe de ter os conhecimentos académicos que deveriam ter, em função dos anos de escolaridade que têm).

Estou tramada!

"Mais uns pós do contra"

Hoje li em muitos blogs impressões sobre o programa de ontem.

Tudo muito, muito sério...

Mas, nestas coisas, nada como rir, rir bastante é o que nos resta e nos ajuda a manter a sanidade mental.
Vai daí, não resisti a copiar na íntegra o post do José António, o melhor que eu li sobre o assunto (e li bastantes...)

O Rapaz - Disse o que lhe vai na alma. Com o tempo perceberá que a sinceridade, mesmo debaixo dos lençóis, nem sempre se recomenda.

O Velho - Sabe muito disto. São muitos anos de experiência qualificada. Percebe-se que não toma o Mundo a preto e branco. Para ele, os professores e a Ministra são uma gota de água no agitado oceano da globalização.

O Burro - O burro fui eu, que perdi horas da minha vida a "ouver" mais do mesmo.

E o Povo - O povo, personificado no senhor da Confap, diverte-se e, quer o burro carregue o rapaz, quer carregue o velho, acha sempre que o animal está mal tratado.
E não precisa falar muito que os políticos encarregam-se de contar as cabeças; a cada uma corresponde um voto. Como diria o desaparecido: É uma questão de fazer as contas.
No povo também cabe a jornalista que, caso o burro se porte mal, resolve de modo fácil: "Por amor de Deus! Se voltam a bater palmas chamo os seguranças e ponho-vos daqui para fora!"

Lol!

Olha que bela ideia...

</span>

.

Estou a preparar-me para ver a ministra, no Prós e Contras...
(se calhar devia antes ver a novela!)

Torço para que os "contras" estejam inspirados e lhe dêem uma abada.
(se calhar devia antes ver a novela!)

Alguém tem por aí um calmante?
(se calhar devia antes ver a novela!)

Parabéns a mim!!

(foto daqui)

É verdade!
Hoje este humilde tasco completa 4 anos!!
E este post é o número 1000!

Estou de parabéns, não é?
Então sejam uns queridos e dêem-me os parabéns e esses mimos do costume!

Da minha parte, depois de muito procurar (e há verdadeiros artistas a fazer bolos!) achei este.
Sirvam-se à vontade, mas não estraguem!!

Nota 1:
Emiéle e Aflores, eu não me esqueci do meu aniversário, mas hoje, já melhorzinha da constipação, fui almoçar fora e vadiar.
Também mereço, não é?

Nota 2:
Quero uma overdose de comentários!
Por isso aqueles queridos que às vezes me dizem: "ai gosto tanto do teu blog, leio sempre..." patati, patata, mas que nunca comentam, façam o favor de o fazer!!

E para não irem daqui cheio de sede...

Substituições à la carte

Ontem a professora de música das AEC não pode vir e foi substituida.
A colega que apareceu lá na escola é professora sim, mas de inglês!

E eu perguntei "então vais dar inglês, não é?"
"Não... eu vou dar música!
Ou melhor, vou fazer uns jogos com eles, já que de música não percebo nada."

Isto é para os ingénuos que ainda pensavam que as AEC existiam mesmo para enriquecimento curricular, já que todos os professores sabem que estas actividades apenas existem para entreter as crianças...
O que me mete raiva são estas tentativas de nos atirar areia para os olhos!
E eu que ODEIO areia!!

(mas a ministra é coerente: esta filosofia é a mesma que permite que professores de EVT venham dar apoio aos meninos do ensino especial...)

Música na Escola


Na quarta-feira fui com os alunos ao Centro Cultural e de Congressos de Aveiro, assistir ao "Música na Escola", pela Orquestra Filarmonia das Beiras.

Para quem pensa que crianças pequenas não gostam de música clássica, estão muito enganados.

Uma sala enorme cheia de garotada a ouvir música em silêncio!
Eles adoraram as "Quatro estações" de Vivaldi!
(claro que muito bem explicadas pelo animador da festa)

Pelo menos uma vez no ano, a Câmara Municipal de Aveiro tem uma iniciativa de jeito!

Guerra virótica

Todos nos queixamos do comportamento, cada vez pior, das nossas crianças.

Faltam-nos ao respeito e não lhes podemos ralhar, muito menos bater...
E então como resolver este embróglio?
Façam como eu: declarem-lhes guerra!

Eu explico:
Apanham uma valente constipação e depois... subrepticiamente, contagiam as vossas pestinhas!
É sucesso garantido!
Hoje estiveram 6 de baixa.
Amanhã, se tudo correr bem, conto que o número suba para 7 ou 8!

E viva o sossego!

Pág. 1/4

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D