Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fábulas

Fábulas

Eu tinha prometido...

... mas não resisti a esta imagem que recebi por mail!!
Além disso hoje estive 11 horas fora de casa, ainda tenho as aulas de amanhã para preparar e nem sequer me passa pela cabeça corrigir hoje os trabalhos dos meus alunos que trago na pasta, porque convém-me estar viva amanhã para festejar o S. Martinho com eles, por isso hoje não tenho tempo para escrever aqui!!



Ora digam lá se não está muito bem apanhado!!

Uma fotografia por domingo (67)

A minha nova orquídea, enquanto está bonita e cheia de flores...
Um presente para todos os que por aqui passam, mas especialmente para todos os professores deste país.


Que trabalham em condições precárias, às vezes a mais de uma centena de quilómetros de casa e longe da família e que ainda são enxovalhados por quem, por força da sua posição, os devia defender!

Se 120 000 não chegam, pararemos todos!

Há em Portugal cerca de 140 000 professores.
Hoje, mais de 120 000 foram a Lisboa.

Só gente maldosa e mal formada pode achar que tanta gente está enganada, que tanta gente é malandra e não quer trabalhar nem ser avaliada.

Nos comentários dos jornais on line leio as maiores barbaridades.
Alguns comentários com nomes diferentes são das mesmas pessoas (a repetição dos mesmos erros ortográficos denunciam-nos!!).
Como funcionará a cabeça de gente que gasta o seu tempo a comentar nos jornais contra os professores?

Esses comentários - de gente frustrada e mal amada que com certeza teriam querido ser professores mas não tiveram inteligência suficiente para o conseguir - não me incomodam muito, nem me tiram o sono.
Os comentários que me incomodam até à náusea são os da ministra!
Ela continua a fingir que não está a acontecer nada, que há muitos professores que estão do lado dela!
Continua a dizer que os professores são uma classe privilegiada, que trabalha pouco e dá a entender a quem a ouve que os professores estão nas ruas apenas porque não querem ser avaliados!!
Como pode uma pessoa que é ministra da educação ser tão ignorante e tratar assim os "seus" trabalhadores??

Na sexta-feira dizia-me a mãe de uma aluna, à entrada da escola "vocês têm toda a razão, mas têm uma ministra que quando aparece na televisão só diz mal dos professores! os outros ministros não dizem mal das pessoas".
Outras que estavam lá deram-lhe razão, todas diziam que "a mulher é uma mal encarada, não tem simpatia nenhuma, se calhar nunca pôs os pés numa escola para ver como é o vosso trabalho e o que ele custa".

Mas isto são pessoas com pouca instrução a falar...

Magalhães, só mais uma vez... prometo!

O texto que se segue é um comentário da Graça, no post anterior.
Só para que não pensem que eu sou "refilona" ou exagerada...
E que a realidade é ainda pior do que eu a pinto.
Porque na minha escola (ou melhor, na minha sala de aula - porque na cantina já não é assim)as crianças não passam frio.
E também, na minha escola, as fotocópias não são racionadas!

«Na minha escola grande parte dos alunos não tem direito a ter cacifo.
Andam carregados de livros e mochilas o dia inteiro...
Nas minhas aulas os alunos apertam os casacos, põem os cachecóis à volta do pescoço, esfregam as mãos para poderem escrever e tiritam de frio dentro de salas gélidas...
Na semana passada, paguei do MEU bolso as fotocópias para os MEUS alunos poderem fazer testes, porque na minha escola não há dinheiro para fotocópias...

Mas afinal... será que isto pode ser verdade?!!!
Somos RICOS!
Até os alunos que não sabem escrever têm direito a um Magalhães...
Até os alunos que já têm computador são "aconselhados" a adquirir outro: o indispensável Magalhães...
Até os políticos da cimeira têm, como prenda do senhor ministro, um Magalhães...

Por favor, tenhamos (todos) piedade de nós!!!»

E como não há duas sem três.. mais Magalhães!

É notícia hoje que, afinal, não são os operadores que vão pagar os custos do Magalhães, como foi sempre afirmado pelos senhores do governo.

Foi Mário Lino (aquele senhor do "jamé", lembram-se??) quem o veio confirmar:
"O Estado pagará a diferença".

Eu gostava imenso de conhecer esse senhor para lhe agradecer a amabilidade!
Isto de viver num país rico é outra loiça!!

(tenho alunos que, apesar das enormes dificuldades financeiras, não tiveram direito a subsídio para livros e almoços...
Mas que falta fazem os livros e os almoços quando se pode ter um Magalhães?)

O que eu adoro o Magalhães só tem paralelo no primeiro-ministro!

Venho aqui retratar-me e desdizer tudo o que disse de mal acerca do Magalhães.
É que recebi um mail que mostra como o computador pode, afinal, vir a ser utilizado e a revelar-se útil!!

(o senhor primeiro-vendedor-ministro disse que o Magalhães era para ser usado dos 7 aos 77, por isso parece-me que estas simpáticas senhoras estarão a prevaricar!!!)

Quiche doce de maçã

Mais uma receita onde os ingredientes principais são a maçã e a canela!
Esta é dedicada à Ameixinha!!

Ingredientes:

1 rolo de massa quabrada
2 maçãs
120 g de açúcar
2 colheres de sopa de manteiga
4 ovos
3 dl de leite
100 g de queijo ralado (facultativo)
1 colher de chá de canela
açúcar em pó para polvilhar

Preparação:

1. Descasque as maçãs, corte-as ao meio, retire-lhes as pevides e corte-as em meias luas finas.

2. Leve ao lume uma frigideira com manteiga, deixe derreter, junte a maçã e deixe cozinhar durante 5 minutos, mexendo de vez em quando. Polvilhe com 2 colheres de sopa de açúcar e com a canela, mexa, retire do lume e deixe arrefecer.

3. Ligue o forno a 180º.
Forre uma tarteira de fundo amovível com a massa quebrada e pique o fundo com um garfo.
Numa tigela misture os ovos com o resto do açúcar e adicione o leite em fio mexendo sempre.
Deite a maçã dentro da tarte, espalhe, polvilhe com o queijo ralado e junte a mistura dos ovos.

4. Leve ao forno durante 30 minutos.

Pode polvilhar-se com açúcar em pó.

Notas:
Não tinha queijo ralado em casa, por isso não pus, mas deve ficar bom.
Parece-me que será desnecessária a tarefa de "fritar" as maçãs. Acho que se podem pôr cruas, polvilhadas com a canela.



(receita da teleculinária n.º 1538, de Novembro/2008)

Mais Magalhães, ufa!

O Magalhães ainda não chegou, mas as instruções "para professores", essas já chegaram.
Para que não pensem que sou exagerada, transcrevo algumas dessas "instruções".
São apenas excertos, porque não vos faria a maldade de colocar aqui o documento na íntegra!

"O professor e a escola devem dar os seguintes passos"
(esta parte é fácil, vou ficar à espera que a escola tome a iniciativa!!)

"os professores devem fornecer aos EE dos alunos toda a informação"

"Os EE devem preencher e assinar estes documentos e entregar ao professor (...) delegando no professor a competência para efectuar a inscrição e acompanhar o processo"

"o professor inscreve os alunos no sítio da internet"
(na minha escola a internet é assim: há durante 5 ou 10 minutos e depois desaparece por umas horas. Haja pontaria!!)

"a escola deverá verificar a veracidade dos dados dos alunos"

"assinalar no sistema que foram efectuados os pagamentos dos computadores" (?????)

"os professores deverão entregar aos EEos recibos/facturas e aos alunos os computadores"

Só ninguém nos disse ainda a que horas devemos executar essas tarefas! Se depois do meu horário lectivo eu não admito fazer esse trabalho, só me restam as horas lectivas para o fazer... ou então as horas de reuniões...

Louvado sejas, ó Magalhães!!

E agora??

Ensino as crianças a escrever "rectângulo" ou "retângulo"?

É que é um perfeito disparate eu agora dizer-lhes para escreverem duma maneira e daqui a uns dias dizer que afinal não é assim!
E a altura ideal é esta, quando eles estão a aprender as palavras pela primeira vez!

Faço o quê?
(sobre este assunto nunca recebi NADA do ministério da educação, nem façam nem deixem de fazer! E o único livro que tenho sobre esta assunto, comprei-o eu e foi se quis!)

Obrigada Glicínias!

Ontem, ao fim da tarde, dirigi-me ao centro comercial cá do burgo - Centro Comercial Glicínias.
E não fui fazer compras!!
Fui lá porque eles ofereceram um computador à minha escola!!

Foi assim: eles contactaram o C. Executivo do meu agrupamento para que indicasse uma escola candidata a receber um computador.
O "meu" vice-presidente - que é um querido - indicou a minha escola.
Afinal, está quase a fazer um ano que não temos computadores na escola!

E então lá fui, eu e o vice presidente, posar para a foto, "com a mão no computador" (que está hoje no Diário de Aveiro, que também participa neste projecto).

Esta "exposição" (isto foi na zona dos restaurantes, com toda a gente que por lá estava sentada a olhar para nós, sem contar com os flashes para o jornal e para a página do Glicínias!) foi um preço pequeno a pagar para que os alunos da minha escola possam ter um computador.

Por isso, já que quem tem obrigação de equipar as escolas o não faz, "obrigada Glicínias".


Aí está o maralhal que foi buscar os computadores (abrangeu três escolas). Eu também estou por aí!!
Dão-se alvíssaras a quem me achar!!

Pág. 3/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub