Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fábulas

Fábulas

Professores de primeira, de segunda e por aí abaixo...

Desde que comecei a trabalhar, já lá vão bastantes anos, que sempre houve "professores destacados".
São professores que pertencem a uma escola mas prestam serviço noutra ou então fazem outos serviços que nada têm a ver com o curso que tiraram: trabalho nos sindicatos, nas antigas delegações e direcções escolares, etc.
Tenho colegas que saíram comigo do Magistério e nunca na vida deram aulas... Não teria nada contra esta situação não fora o facto de eles, embora não leccionando e tendo emprego garantido perto de casa, ganharem tanto como os que dão aulas e andaram anos por aí de trouxa às costas.

Também havia (e há) os destacamentos pela "lei conjugal": se tens a sorte do teu marido/mulher ser funcionário público tens a garantia de ficar a trabalhar perto de casa. Os outros... esses podem ir para onde calhar!

Há ainda os destacamentos por razões de saúde.
E aqui é onde se geram as maiores injustiças pois normalmente quem se "safa" nem são os que mais precisam... Os que realmente precisam muitas vezes já não têm direito a nada porque já não há vagas!

Acabar com todos os destacamentos e em vez disso ter a preocupação de colocar toda a gente o mais perto possível da sua residência, respeitando escrupulosamente o tempo de serviço de cada um, isso sim é fazer justiça.
E obrigar aqueles que fazem outros serviços a optar: ou vão para a sua escola ou ficam onde estão e perdem o direito à escola!
É que estes professores, num país de desempregados "acumulam" empregos: trabalham lá onde for, mas têm um lugar cativo na escola a que pertencem... E normalmente são efectivos porque, como tinham as costas quentes, podiam tentar efectivar-se a nível nacional - coisa que os outros não se podiam arriscar a fazer porque teriam de ir trabalhar para a escola que lhes calhasse!
E ainda por cima, quando ficavam efectivos passavam à frente de outros com mais tempo de serviço mas que não eram efectivos
E assim se foi perpetuando no tempo esta tremenda injustiça...

Até que ontem, sem mais nem menos, parece que resolveram acabar com os (alguns?) destacamentos...
Mas a pouco mais de dois meses do final do ano lectivo, obrigar as pessoas a mudar de escola??
Já não basta o sufoco de Setembro??
Não seria muito mais normal deixar terminar o ano e depois fazer os concursos com regras bem definidas?
E acautelar bem acautelados os direitos daqueles que tiveram entretanto a infelicidade de adoecer, mas que podem continuar a trabalhar se lhes criarem condições para isso?

Eu não sei mas parece que às vezes anda tudo doido!


Não andará?
(foto recebida por email)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub