Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fábulas

Fábulas

Onde é que tu estavas no 24 de Abril?

Mais um desafio, desta vez da Emiele...
Trata-se de contarmos onde estávamos e a fazer o quê no dia 24 de Abril de 1974.
Quando ela me desafiou, fiz-lhe ver que nessa data ainda não tinha nascido, mas nem assim ela se comoveu!!

O dia 24 de Abril era, nessa altura da minha vida, um dia especial: a C. fazia (e ainda faz!!) anos.
Nesse dia de 1974 fazia 15 aninhos.
As festas de anos dessa altura não eram como as de hoje, nas discotecas e pizzarias.
Eram em casa, mas com uma particularidade ainda mais interessante: incluíam jantar e dormida! E ainda outra: na festa dela a única convidada era eu, na minha era ela! (a minha irmã, mais nova 5 anos que nós, fazia parte do "pacote" mas não contava!

Nesse dia, devo ter feito o habitual: escola (andava no 5.º ano do liceu, actual 9.º) e depois da escola e do lanche, devo ter rumado a casa da C.
Devemos ter feito as brincdeiras do costume, depois jantámos, vimos televisão e fomos dormir.
Dormir é força de expressão: a mãe dela montava o sofá na sala - ficava uma cama enorme - e nós ficávamos na galhofa até às tantas.
De vez em quando o pai ou a mãe dela mandavam um berro lá do quarto "toca a dormir que são horas" ou "párem de falar e durmam", mas nós continuávamos!

Nessa noite, de 24 para 25, (lembro-me perfeitamente porque a data ficou célebre), de madrugada ouvimos uma grande bulha de gatos, levantámo-nos da cama, saímos pela janela e fomos ver o que se passava no quintal...
De manhã, quando chegámos à escola disseram-nos que não havia aulas porque tinha havido uma revolução.

"Uma revolução?
Mas que raio é uma revolução?" - lembro-me de ter pensado vagamente, mas a perspectiva de um dia livre inteirinho para brincar e ainda por cima com montes de pessoal da escola, deixou-me super-feliz!!

(Já depois de ter escrito este post, pus-me à procura do meu diário e encontrei o dia 24 de Abril de 1974...
Aqui está!!
não se riam da minha escrita: tinha 14 anos!!)



Quem é que eu hei-de desafiar??
As vítimas são (depois de muito pensar!):

AFlores
Castanha Pilada
Bea e
José Antonio!

Castro Laboreiro

Tinha pensado ir passar dois dias na zona de Melgaço e Castro Laboreiro e não fui porque constipada não me apetecia lá muito sair de casa...
E vou descobrir hoje, quando cheguei a casa e liguei a televisão, que os actores da série "Conta-me como foi" estão por lá a filmar!
E a cena que estavam a filmar hoje - um piquenique - era ao pé da "minha" ponte, numa zona lindíssima de Castro Laboreiro.

A minha noite de núpcias em Castro Laboreiro foi inesquecível! (não só pelos motivos que estão a pensar que aí foram todas!), mas porque chegámos lá ao finzinho de uma tarde gelada de Fevereiro.
Pelo caminho começou a cair uma "chuva estranha" e só algum tempo depois é que descobrimos que era neve e não chuva! (nunca nenhum de nós tinha visto cair neve).
Quando lá chegámos o que pensávamos ser uma pousada era afinal uma pequena pensão, onde nós éramos os únicos hóspedes! E ainda bem que havia lugar para nós, pois nessa altura já não se podia voltar para trás (para Melgaço) e para a frente também não havia mais caminho (a estrada terminava lá!)
Jantámos como se estivéssemos em casa, numa cozinha acolhedora, com uma enorme lareira e um cão deitado aos nossos pés! E com a senhora da casa com uma enorme travessa e sempre a perguntar se queríamos mais.

No dia seguinte, não pudemos sair logo de lá, só mais tarde quando chegou um senhor que veio de Melgaço e disse que a estrada já estava transitável.
Estava tudo lindo, coberto com uma enorme camada de neve!


(esta foto tirei-a da net, que as minhas ainda são em papel!)

As crianças são tãão inocentes!!


Na pausa para lanchar, que a tarde já vai longa, dei uma espreitadela à padaria da Didas.
Ela conta que quando era miúda, deitava-se e ficava de papo ao ar a ver as moscas a colarem-se àquelas coisas peganhentas que se usavam para as caçar...
Ao fazer lá o comentário, não pude deixar de pensar em como ela era boazinha para as moscas!

Quando era pequenina, eu fazia "hospitais", cujas camas eram caixinhas de fósforos vazias, encostadas umas às outras.
O problema nem era bem o hospital!
O problema era a técnica que eu usava para elas não fugirem da "cama", que era arrancar-lhes as asas e, a uma ou outra mais afoita, também saíam as patas!

Claro que ao fim de umas quantas "injecções" elas ficavam mais quietas...

E quando me juntava com os meus primos, na casa da minha avó (casa sempre de portas abertas e onde havia fartura de moscas) e fazíamos "gelado de mosca"??

Só espero que não ande por aqui nenhuma criança a ler estas barbaridades!
E dizer que me regenerei e que agora não faço mal... a uma mosca!!

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2005
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2004
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub